quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

A APOSTA...

     Diante de alguns acontecimentos, e da vida pregressa de certos envolvidos, eu sempre deixo uma aposta na rede, mas creio que poucos bancariam o contrário.

     Alguns dizem... "teoria da conspiração", mas seria apenas isso ou será que os movimentos estão ficando mais e mais evidentes do lado de lá?

    Vamos aos fatos e a aposta.

    Todos bem sabem que o ex presidente "molusco" da Silva, e sua consorte(?) conseguiram cidadania Italiana para a família toda.
    É público e notório o enriquecimento da família toda, e o rompante de genialidade do filho dele, ex zelador do zoo de São Paulo, e que da noite para o dia abriu um empresa, fez uma proposta para o governo federal de prestar serviços de informatica, e conseguiu um contrato milionário... ( será que se eu apresentar a solução de todos os problemas consigo um contrato igual? duvido ) fora é claro a concessão de canal de TV.
   A filha do molusco vivia em FLorianópolis com uma mesada que mais parecia salário de jogador de futebol,e o "papai" não sabia... estranho não?

   Mas eis que brilha no horizonte da família molusco uma luz no fim do túnel que eles cavaram para enterrar o país.

   Um terrorista italiano !!!!! 

   Sorte grande hein molusco?

   E então, com os meios, a oportunidade e a chave de ouro para fechar a jogada... começam a encaixar as peças.

   1º Com os super passaportes ( da República dos Bananas) a família molusco e seus asseclas podiam desembarcar em qualquer lugar do mundo sem revista, sem alfândega... ou seja, se levassem milhões em dinheiro, não haveria problema algum.

   2º O terrorista assassino condenado, pede asilo aqui... e o molusco lhe concede asilo, e com auxílio de um certo... T.Bastos... consegue além do asilo, evitar sua deportação, e o pior, aposentadoria aqui, sendo que ele jamais contribuiu,e adivinhem que partido custeou isso tudo? E com o dinheiro de quem?

   3º Então até aí somando e ligando os pontos imaginem o que vai acontecer quando a bomba "estourar" aqui.

  4º Apoio e ligação estreita com líderes de esquerda e ditadores sul americanos ( qual seria o aporte de ajuda que ele envia a estes países?), alguém esqueceu a refinaria da Petrobrás que ele... deixou ser  tomada? Afinal eles são necessitados segundo o molusco... sei.

    Então o desfecho!

   A bomba estoura, escândalo, molusco e comitiva embarcam rapidinho para um país vizinho que lhes dá cobertura, de lá foge para a Itália e vai viver do que levou daqui... e o melhor, quando o Brasil pedir sua extradição  o que ouviremos aqui? " Ele é cidadão Italiano, e só roubou vocês, o terrorista assassino que tirou vidas foi naturalizado e recebeu asilo aí... sem chance de extradição, estamos quites".

   Isso é o resumo da ópera apenas...   e aqui, dou "all in".

   NA PRÓXIMA APOSTA... COLOCAREMOS A PETROBRÁS NA MESA JUNTO COM AS FICHAS.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

A COTA... O GUETO CULTURAL/EDUCACIONAL.

    Como evitar este assunto uma vez que tornou-se a mais nova celeuma dos "intelectuais" de plantão?

     As cotas são o novo "apartheid", são o novo "gueto" mas ao invés de físico é um gueto cultural, é um decreto de falência da educação, e o pior, alguns políticos medíocres, vem a público defender estas medidas verdadeiramente separatistas, como se fosse um meio de inclusão social, cultural.
    Ledo engano...         e cria-se um novo gueto.
    Se não é possível, incutir na cabeça das crianças que não existem diferenças ( aliás em nosso país abençoado por Deuses de todas as crenças, isso já é um tabu vencido), por falta de material humano e didático eficientes, então como sobrevivemos até hoje sem esta... maravilha ideológica?
    As crianças são o reflexo dos pais e do que é pregado, em breve associarão a incapacidade intelectual, com a cor da pele, e isso é inadmissível. Mas é a pedra fundamental do novo "apartheid".
    Porque ao invés de criar "cotas", não investem mais na capacitação e na remuneração dos professores, na educação de base, na educação moral e cívica ( o que foi? Parece muito com um retrocesso? Ou será que seria um choque pregar a moral e civismo novamente?), afinal a escola é o ponto intermediário entre a sociedade real e a criança.

É como dizer as crianças... "A" você e "B" são iguais, mas "B" vai ganhar uma vaga devido à sua etnia. ( ou seja... e a capacidade intelectual como fica? Alguém já parou para pensar que nossas crianças também fazem suas... conjecturas?)

     E tudo gira ao redor da educação... a criança começa em sua micro sociedade a aprender as regras, sua micro sociedade é a família, depois passa para um modelo social mais complexo, a escola, e por fim... chega ao convívio social em sua plenitude.
     Professores preparados, bem remunerados, material didático preferencialmente "não tendencioso" , mas isso certamente vai de encontro à vários interesses.
     
     E então, cria-se este nosso sistema separatista, e no futuro certamente este será questionado, e infelizmente uma nova bandeira irá erguer-se em meio à tantas outras, a da marcha em busca de igualdade. Igualdade que estamos "enterrando", com a desculpa de "reparar erros do passado".

     A que ponto chegamos.

     As cotas segregam... deixam a impressão de que a cor da pele influencia no desempenho intelectual ( o que não é verdade) e o pior, com o aval dos governantes... então vivemos sob o comando de pessoas verdadeiramente "racistas" ou não? Se não há exemplo, se não há esforço real, então como pregar a inclusão social? A resposta é simples...            hipocrisia.
     
      Não investem na base, na educação, na inserção da família no ambiente escolar, nesta integração de dois mundos, de dois tipos de sociedade que precedem a chegada a vida social plena.

      É tempo de realmente acabar com o racismo, e principalmente com o racismo ideológico, se a ideia era inclusão social, creio que começaram pelo lado errado, criando justamente os meios para uma exclusão social, em breve os espaços serão segmentados nas universidades, e sabem o porquê?
     Porque muitos começarão a ver que as quotas são um meio de arrebanhar votos e que por consequência diminuem as chances de quem estudou, de quem preparou-se,de quem lutou por uma vaga à exaustão.
    É um meio de inchar a relação candidato vaga, além disso, quem não viu ainda matérias à respeito em que pessoas nitidamente não enquadradas nas quotas, conseguem a vaga mentindo sobre a sua descendência?

    Num país que vive sob a égide da Lei de Gérson, estamos apenas deixando mais claro que... " o importante é levar vantagem em tudo".

    Mas... a que preço futuramente?

    Eu acredito na capacidade individual de cada um, mas principalmente, na chance que todos podem ter, só depende de vontade política, de coragem... de honestidade administrativa, de um governo que acredite na capacidade de seu povo, e não que o trate como um ser subdesenvolvido.

   Este é o governo que incentiva as cotas.


  Aquele que duvida da capacidade de todos, e conta com isso para governar.

    
      
   


sábado, 2 de fevereiro de 2013

EQUÍVOCO... EGOS X BOAS INTENÇÕES ( A POLÍTICA REAL E ATUAL)

( RESENHA DEVIDAMENTE REGISTRADA BEM COMO OS DEMAIS TEXTOS, TODOS PROTEGIDOS PELA LEI DE DIREITOS AUTORAIS, PLÁGIO É CRIME, QUEM O COMETE NÃO EXISTE, É APENAS UMA SOMBRA E UM DIA ALGUÉM ACENDE A LUZ.)


EQUÍVOCO... QUANDO ELE CUSTA CARO.


 Equívoco... engano, falta de atenção (?), ou simplesmente aquele momento após o "tropeço" inicial.

 O maior engano para qualquer partido ou pessoa pública, ou que torna-se pública, é o plágio, a falta de originalidade, o "seguir"  o caminho já traçado ou simplesmente retratado em obras, estudos e divagações filosóficas, afinal a imagem a mensagem deve ser consistente, única e verdadeira.

 Equivocar-se é natural, nem todos tem a experiência nem tampouco nascem sabendo tudo, existem momentos nos quais a razão deverá ser capaz de suprimir o coração, é o momento de escolher entre crescer, ou desaparecer e tornar-se mero coadjuvante no cenário pretendido.

 O povo está cansado de fórmulas mágicas, de meias verdades, de promessas já "batidas" de campanha.

 Existe aquele momento... no qual o "delay" ( atraso) entre a informação assimilada e a repassada, pode custar caro, pode pesar contra em situações políticas.

 A política é um jogo de xadrez, uma batalha que mexe com egos, aspirações, sonhos, e que não pode aceitar um comando segmentado, a centralização também não é favorável,então qual a solução? Simples, separar a administração executiva do partido, da administração política. Sendo que a segunda sempre irá sobrepor-se a primeira, mas em se tratando de política bem feita, as duas sempre terão pesos equivalentes.

 A administração política, cuida de estratégias, contatos, ações de marketing... enquanto que a administração executiva cuida de logística, organização e administração da funcionalidade, de deslocamentos de apoio e suporte técnico estrutural.

 Este é o segredo da política bem feita, são dois braços que juntos podem realizar grandes tarefas, mas que separados por egos inflados e bairrismos, não servem nem para tentar levantar o corpo depois do tombo.

 Mas de qualquer forma são necessários o comando estratégico, a imagem nacional certa, e saber trabalhar isso...   o comando estratégico e político, deixar a figura central de um partido em evidência, como um presidente de empresa que representa um conselho de associados... porque ninguém entra neste jogo para fazer número, não existe segundo lugar, nem esconder jogo, aqui tem que chegar na pesagem antes da luta, e assustar pelo preparo, pela imagem... pela "encarada".

 Grandes líderes sabem que existem momentos, em que separar o ideal do real é necessário, assim continuam na história, fazendo história, sendo parte dela, ao invés de virarem nota de rodapé.
 Este... é o segredo do grande político.

 Mas o objetivo maior é promover as mudanças,  a limpeza, sem dó nem piedade, sem fórmulas já conhecidas e reconhecidamente falidas, estas já provaram sua ineficiência, ou luta-se por um Brasil novo, ou remenda-se o velho como tem sido feito.

 Experiência, estratégia, visão, análise, planejamento, velocidade, adaptação, e finalmente resultado.

 E nem todos bem intencionados conseguem isso.

 Partidos novos e velhos... velhas ideias e fórmulas, modelos ultrapassados e já exaustivamente testados em seus retumbantes fracassos. E relendo e analisando... o que vale mais à pena?

 Eu jogo para ganhar... ganhar e começar o Brasil novo... e você que lê isto?

 Neste jogo nem sempre estar à frente é interessante, isto depende da experiência e da visão pragmática da política atual em todos os níveis, o romantismo dos "heróis"(?) políticos de outrora? na realidade atual, não passam de história da carochinha.

 Brasil... só isso.

 Quer saber quem tem visão estratégica? Quem chega no embate e não precisa de livros, google, pesquisa, reler algo, buscar anotações... quem não precisa de nada disso já leu o adversário e já sabe as perguntas antes que elas sejam feitas.